terça-feira, 26 de setembro de 2017

Seu celular será seu próximo variômetro, GPS e anemômetro

Os instrumentos de voo estão sofrendo as disrupções causadas pelos smartphones.

Há 6 meses eu aposentei meu Brauniger Compeo e tenho utilizado apenas o iPhone como instrumento de voo, acoplado a um barômetro externo via bluetooth.

Este projeto de canoinha inteligente chamado Altair Racing Pod vai dar uma mãozinha nessa evolução.



Não é uma "canoinha" qualquer. Trata-se de uma canoinha que dentro possui um powerbank de 10.000mAh para fornecer energia extra ao seu celular durante o voo, um variometro bluetooth e um tubo de pitot integrado ao variômetro.



Todas as informações de pressão e velocidade do vento são transmitidas por bluetooth para o seu celular (Android ou iPhone) e o aplicativo de voo reconhece essas informações e transforma seu celular em um computador de bordo mais poderoso que os antigos equipamentos dedicados ao voo, como por exemplo o Compeo, Flytec, Digifly, Flymaster etc.

Mas qual aplicativo utilizar?


  • Se você possui um celular Android, poderá escolher entre as excelentes opções como XC Soar, Altair, XCTrack, ou outra dezena de apps. 
  • Se você possui iPhone ou iPad, poderá utilizar o que considero ser o melhor app para iOS atualmente, que é o Flyskyhy.

Para assistir um tutorial do Flyskyhy, veja esse video que eu fiz. No exemplo eu utilizei o iPhone integrado com o vario bluetooth Blueflyvario.



Exemplo de instalação do Blueflyvario dentro do capacete. Ele transmite por bluetooth as variações de pressão para o seu celular com o app se comportar como o instrumento de voo.





Canoinha do Compeo adaptada para suportar a "capa bateria de 10.000mAh" e fazer o iPhone durar cerca de 8 horas de voo com a tela ligada e transmitindo localização ao vivo pela internet (os apps XC Soar e Flyskyhy fazem isso através do Livetrack24.com gratuitamente)





14 comentários:

Nininho Perez disse...

Muito bom Erick. Vc está contribuindo muito para o esclarecimento da tecnologia que você está fazendo uso e revolucionando o voo com esse sistema muito sofisticado e prático. O bacana são os gráficos, informações colhidas pelo piloto e que são transmitidas ao vivo para o espectador ou resgate.

Frazão disse...

Parabéns Erick!! Assim você quebrará várias empresas...

Erick Vils disse...

Oi Beto Rotor, obrigado pelo seu comentário e reflexão sobre o post, mas tenho que discordar.

O que era restrito a praticamente apenas 3 empresas em todo o mundo (fabricantes de instrumentos de vôo) hoje está distribuído em dezenas e quase uma centena de fabricantes de aplicativos, canoinhas, variometros Bluetooth e projetistas fazendo hardware para tubo de pitot e vario baseado em projetos opensource na plataforma arduino.


No Brasil tem o pessoal do vario Bluetooth ThermalExpress (vide Facebook deles) e um grande leque de novos projetistas podem customizar o blueflyvario australiano, por exemplo e o próprio fabricante do Blueflyvario incentiva e pede colaboração no projeto que é opensource tanto no hardware quanto no software interno dele.

Para android existem dezenas de apps de vôo. Para iOS outros tantos.

É a nova economia. E eu apenas estou expondo minha visão de tendência. Eu não ganho nada com isso e sou apenas um entusiasta e colaborador. Tenho ajudado tanto o ucraniano da Canoinha da foto desse post até o programador do Flyskyhy com orientações para novas funcionalidades e testes no app.

E no outro post desse mês sobre modelagem e impressão 3D existem outros exemplos de economia compartilhada e distribuída que além de não quebrar os fabricantes de asa, ainda empregam empresas de modelagem 3D, scaneamenro 3D e impressão 3D. E tudo isso trazendo benefício para o usuário (nós voadores) que não precisamos ficar esperando meses uma pontinha de tala chegar se podemos imprimi-la em 1 dia logo ali na empresa que fica na Vargem Grande ou na Av Paulista.


Abração e bons voos.

Unknown disse...

Fala Erick, fiquei encorajado pela ideia, pena que ainda é pouco aderido pelos pilotos de asa, acho que vou comprar um vario BT e testar.

Como fica a questão da visibilidade da tela? Tem algo que pode ser feito pra melhorar a leitura?

Obrigado por compartilhar!

Erick Vils disse...

A visibilidade é ótima. Quase não da reflexo por causa da posição do celular deitado.


Dica: corte a ponta do dedo indicador da sua luva para melhorar o touch se precisar em vôo e também para desbloquear o telefone se o seu possui acesso pela digital.

Igor Pinho disse...

Fala Eriki... parabém pela sua iniciativa.
Também sou um entusiasta de novas tecnologias e sou hobbista de eletrônica.
Participo de grupos de impressora 3d e hoje, estou usando a impressora 3D para diversos fins no voo livre.
Já tenho modelado em 3D e impresso, pontas de tala, rodinhas (para speedbar redondo e perfilado). Nesse momento estou trabalhando em uma canoinha com vario + gps + tela visível no sol e futuramente com tubo de pitot . Tudo isso integrado em um único equipamento.
Espero até o final do ano postar todas as fotos do projeto. pretendo torna-lo open-source.
Já passei pela faze de teste de toda a eletrônica e já não uso mais meu Brauniger.

Roberto Baitelli disse...

Olá Erick embora eu não seja piloto o tutorial está claro e simples como deve ser. Nele vc menciona a função concentrador de térmicas. O aplicativo estima o local das térmicas durante o voo ou a informação do local já existe. Se eu comprar o Flyskyhy consigo acompanhar o seus voos e de outros pilotos ou são dados privativos? O aplicativo mostra o símbolo de um parapente e não de uma asa. Ele foi desenvolvido para pilotos de parapente? Vc mudou de fabricante deixou a Moyes? Porque vc optou por voar de asa e não de parapente? São só curiosidades fique a vontade em responder ou não grato.

Erick disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Erick Vils disse...

Igor, bacana saber que você tem feito protótipos em impressão 3D. Quebram um galho enorme e serão realidade em muitas coisas e em breve. Da ponta de tala à Canoinha.


Bons voos.

Erick Vils disse...

Oi Roberto, vou tentar responder tudo. Ficaria mais fácil se fossem perguntas esperadas em comentários separador, mas vamos lá:

O Flyskyhy estima a térmica e o miolo dela em vôo. Não é um cadastro de locais prováveis. Ele te ajuda a achar e deduzir onde está o miolo, mas para isso você tem de ter passado pela térmica. Muito útil para as você perde a térmica e às vezes ela está ao seu lado mas você não sabe exatamente. Já foi muuuito útil em voos longos que fiz. Tem gente que não acha necessário, mas quase todos que já experimentaram um bom centralizador de térmicas afirmam que não querem mais viver sem um desses.

Erick Vils disse...

Sobre acompanhar o vôo você não precisa ter o app. Qualquer um com o link de acompanhamento (página web) pode acompanhar. No meu caso meu link é privado. Alguns pilotos voos com link “público”.

Eu prefiro minha privacidade, pois utilizo essa função em trajetos de carro também quando estou com a família.

Erick Vils disse...

O app foi feito incialmente para parapentes mas o desenvolvedor disse que vai trocar aquele ícone por algo mais genérico ou vai permitir escolher o ícone.

Erick Vils disse...

Voltei a voar a WillsWing. Uma asa que curto muito. Fabricada na Califórnia. Uma asa que tem leveza, combinada com performance e que pousa muito facilmente. A mais fácil de pouso sem duvida.

Mas todas são boas. Questão de preferência.

Fiquei triste com a Moyes por causa de 2 recalls de vela que não foram feitos. Nada que afete a segurança da Moyes, mas a estética e desvalorização foram enormes e me aborreci com a postura da Fábrica nesse quesito.

Erick Vils disse...

Sobre a escolha entre asa e parapente, a gente da asa brinca:

“Tubarão ou água-viva? Escolhe aí e me fala.”

Brincadeira. Todos os 2 equipamentos tem suas vantagens e desvantagens. Enquanto eu tiver energia e disposição para “transportar, montar e desmontar” será asa. O dia que eu estiver mais preguiçoso ou velhinho, talvez até voe de parapente. Sem preconceitos.