domingo, 7 de dezembro de 2008

Festa em Sao Conrado RJ

Foi uma festa em Sao Conrado este fim de semana.

Voos com pilao no Cristo Redentor, pousos na mosca, loopings do Rafael, muita velocidade e um show de experiencia e primazia dos dinos que mostraram porque sao Dinossauros do voo-livre.

Cedrick, com 29 anos, era o mais novo piloto da competicao, que contava com varios dinossauros entre 45 e 54 anos.

Uma festa no ar e no chao! Obrigado aos amigos e organizadores pelo belissimo evento.

2008 encerrou em grande estilo!

Natureza no Campeonato de Sao Conrado RJ

Na rampa de Sao Conrado (RJ), o mestre Geraldo Nobre cede sua maçã para um mico enquanto aguarda o momento de decolar para a ultima prova do campeonato estadual do rio.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Spot no Sertao

Quando chegamos em Quixada CE, ficamos na pousada do Almeida.

A maioria dos gringos do parapente e da asa estavam hospedados la.

Os do parapente, a grande maioria estava com o Spot via satelite.

O pessoal do hotel montou uma estrutura de resgate e uma central de acompanhamento via computador/internet dos pilotos com spot.

Cada piloto cadastrou no notebook do hotel o endereco do site do spot que da acesso ao tracklog que o spot gera (aquele link que postamos no blog para os amigos acompanharem) e sempre que um carro de resgate perguntava sobre determinado piloto que nao estava mais com radio funcionando, a menina do computador passava a ultima posicao do piloto.

A unica coisa que difere da forma como nos utilizamos o spot foi o uso dos 3 botoes que existem no aparelho.

1) botao de OK. Ao ser apertado envia pro site e via sms um alerta de que vc esta ok

2) botao de HELP. Ao ser apertado envia pro site e via sms um alerta de que vc precisa de ajuda. Uma vez apertado, a cada 5 minutos ele enviara novamente, ate que o piloto desligue o spot

3) botao 911. Ao ser apertado a central do spot se compromete a acionar embaixadas e autoridades locais. So usar em casos extremos mesmo.

Os gringos usavam assim:
--------------------
-Se pousou bem, aperta o OK.
-Se pousou mal e precisa de resgate urgente, aperta o HELP

Problema: se o piloto se acidenta no pouso e desmaia, nao tera condicoes de apertar nem o botao OK nem o HELP e ninguem sabera onde ele esta.


Nos optamos por usar da seguinte forma:
--------------------------
- em voo e alto, a cada 10 ou 20km de voo apertar o OK pra ja passar posicao e dizer q esta em voo e avancando.

- antes de pousar, e esta ficando baixo, apertar o botao de HELP, pois se der um crash no pouso o spot continuara a cada 5 minutos enviando a posicao do local de pouso/crash.

Se pousar bem, desligar o spot apos uns 15 minutos. Assim, o resgae sabera que voce pousou bem pois nao chegaram mais torpedos de help.

Se conseguir pegar uma termica salvadora a 80m do chao e voltar pro voo, desligar o spot e religar (para parar o envio de 5 em 5 minutos do HELP) e apertar o botao de OK, avisando que conseguiu voltar pro voo.

Bons e seguros voos pra todos, seja na latitude 5° ou 23°.




segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Estamos de volta!


Voltamos ontem do Nordeste.

Foram vôo lindos e poucas roubadas. Em 12 dias voamos 6 vezes em rampas da Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará.

Em breve, álbum de fotos e vídeo.

Obrigado as todos pelas dicas e apoio, principalmente ao nosso amigo, piloto, anjo da guarda e super resgate, Edilson Calheiros, o "Didi"!

Agradecimentos também à toda equipe da "Atibaia voo duplo de asa-delta" por apoiar o Didi nesta empreitada de ajuda aos Vils Brothers.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Hoje era o dia em Quixada (CE)...

Decolamos as 9h de Quixada (CE) com ventao e tudo formado.

Em 40min e uns 30Km de voo, eu e Cedrick ficamos baixo e pousamos bem
e com seguranca.

Hoje era o dia. Somente o Leonetti (frances) de parapente decolou as
8h e foi embora, mas soube que ele ja pousou (de ré) e ja foi decolar
novamente.

Depois, eu, Cedrick e Patrick Collin da França, de asa.

Cheguei a pegar 46km/h de vento empurrando durante o voo.

Ja desmontamos as asas e decidimos nao decolar novamente pois pelo
horario nao tem chance de voarmos muito longe.

Termicas de 7.1m/s as 9:20h da manha. O lugar é fantastico.

Falei com o Dioclecio agora e o Patrick Collin (um coroa frances de 57
anos muito gente boa) ja esta com 100Km em 2h de voo. Media excelente
para a parte da manha. Hoje ele vai arrepiar na WW talon antiga que
ele alugou no Brasil. Bom voo Patrick!

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Nova rampa em Quixada-CE

Amanha decolaremos da nova rampa de Quixada que foi construida na montanha onde fica o resort pousada Pedra dos Ventos (www.pedradosventos.com.br) cujo proprietario - Almeida - é piloto de asa tambem.

Esta rampa possui 100m a mais que a rampa do santuario de Quixada e o pouso logo abaixo é muito facil o resgate.

O conforto de ficar na pousada e subir em 10 minutos pra rampa é muito bom. O acesso é por dentro da pousada, parecido com Itamonte MG.

Dados tecnicos:
---------------------
Altitude: 550m (nivel do mar)
Desnivel: 350m
Quadrantes: S,SE,E,NE,NW
Pouso: logo abaixo e da pra pousar ate planador de tao grande
Acesso: subida calcada, mas íngrime. Apenas carros com reducao conseguem subir.
Localizacao: S05° 04.168' / W039° 02.574'



Chuva no Sertao

Hoje voariamos local aqui em Quixada CE, pois a previsao nao era das melhores, mas nao imaginavamos que acordariamos com uma chuva fina e um friozinho de serra.

Sao 6:20h e o Dudu MS ligou agora de Patu RN pra perguntar como estava o tempo aqui, pois la esta "estranho".

Pelo jeito sera um dia de descanso e livre pra conhecermos a nova rampa de Quixada que fica dentro da Pousada Pedra dos Ventos no distrito de Joatama, uns 10km de Quixada. O proprietario é o Almeida e ele tambem é piloto de asa-delta.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

220 Km hoje em Patu

Pousei agora apos 5:40h de voo, decolando de Patu (RN) e pousando em Quixeramobim (CE).

Cedrick voou comigo ate o km150 quando ficamos muito baixo e eu consegui pegar um dust devil que brotou no arado e foi pra dentro de um acude. Peguei baixo e as folhas dentro do dust devil estavam molhadas quando batiam no meu rosto.

Hoje nos fariamos apenas um voo local, pois a previsao era ruim e amanha seria um dia bom.

Quando chegamos em Alto Santo (km98 do voo), decidimos prosseguir e pousar em Quixada CE. O vento mudou pra um nordeste e preferi mudar a proa pra Quixeramobim.

Cheguei aqui com o teto bem fechado e tudo sombreado pra frente. Ate umas gotinhas de chuva no rosto na ultima termica.

Dormiremos em Quixada e tentaremos um voo amanha ou sexta.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Pouco vento e lateral na rampa

Hoje fomos pra Tacima tentar decolar cedo, mas havia pouco vento e o tipico vento sudeste havia mudado para um vento nordeste fraco.

A rampa eh muito baixa e a rota com vento nordeste eh muito ruim.

Viemos pra Natal RN ver o Thalis brincar de parapente na praia, mesmo de muletas e pe quebrado.

Amanha tentaremos voo cedo em Tacima PB.

domingo, 9 de novembro de 2008

CBs e chuva no Sertao

Hoje foi dia de descanso e estamos dirigindo de Patu RN para Tacima PB.

No caminho, nuvens pesadas de verao (CBs) explodindo pra todos os lados. Raridade no sertao nesta epoca.


Receptividade nota 1000!

Na foto, Didi, Cedrick e Josualdo.

Josualdo, morador de Jucurutu RN, foi o guia do Didi para conseguir chegar na fazenda onde eu e Cedrick pousamos. Muitas porteiras fechadas e macetes para chegar.

Em todos os locais que pousamos fomos recebidos de uma forma fantastica. Em Jurucutu, foi simplesmente uma experiencia de vida!

Aprendemos por que o nordestino dorme em rede, por que a cama convencional passou a ser adotada no sertao, e a doenca que deixa o nordestino de cabeca baixa, bem como outras historias muito engracadas.

Um abraco a todos de Jucurutu RN e obrigado pela carinhosa atencao.

sábado, 8 de novembro de 2008

167Km em Tacima (PB) hoje decolando as 9:25h da manha

O objetivo hoje era chegar perto de Patu RN ou voar um pouco mais, pois Dudu e Julio Krebs estao hospedados la, apos o voaco deles de ontem.

Apenas eu e Cedrick decolamos de Tacima PB hoje pela manha (9:25h) com a ajuda do super resgate-piloto-amigo Didi de Atibaia.

Conseguimos voar ate depois de Jucurutu (167km de voo em mais de 4:30h de voo) e estamos a cerca de 56km de Patu.

Tentaremos voar amanha de Patu com Dudu e Julio.

Um dos voos mais lindos que ja fizemos. Condicao forte pela manha com termicas de 6.8m/s as 9:45h. Surreal.

Sao 14h agora e estamos fritando num calor infernal, mas Didi ja esta chegando.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Tacima PB, bom demais

Hoje decolamos de Tacima na Paraiba, proximo da divisa com o Rio Grande do Norte.

A rampa eh bem baixinha, mas da pra se segurar no lift ate a primeira termica passar.

Eu, Cedrick, Dudu MS e Julio Krebs decolamos antes das 10h da manha e conseguimos sair numa farofa com teto de 1600m as 10:20h.

Tudo formado. Voamos devagar no comeco e apos 11h comecamos a acelerar.

Ao chegar no Km72 de voo nos deparamos com um platô de 25km sem pousos. Tive que sair da rota do asfalto e ir uns 5km pra dentro do marlboro onde havia um milharal. Nao consegui pegar e pousei com 82km com seguranca a uns 16km da cidade de Currais Novos RN.

Minutos depois aparece o Cedrick sobre o pouso e nem sabia que eu estava por la. Ao me ver e nao conseguir engatar, pousou junto comigo.

Amanha tentaremos decolar mais cedo ainda e vamos precisar de uma estrategia para este plato sem pousos.
Conversamos com o Dudu e Julio Krebs e há pouco e eles voaram até o Km240 e depois viraram90 graus pra pousar em Patu. Havia Cirrus na rota.

O calor esta insuportavel e eu, Cedrick e Didi estamos "bodeados" e com sono. Tambem, cada comida..




quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Bandeirantes do sertao

Como hoje nao voariamos, pegamos estrada para Tacima PB, e tivemos nosso dia de "bandeirantes".

Viemos procurando montanhas mais ao leste para uma possivel decolagem.

Encontramos um lugar fantastico na localizacao "S06.3920, W036.6136" com 420m de desnivel.

Fica perto das cidades de Acari e Curais Novos (RN), porem algumas (muitas) juremas (arvore da caatinga que possui muitos espinhos) impedem a corrida para decolagem.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

230 Km de voo hoje em Patu (RN)

Pousado após 5h de vôo. Algumas formações fora da rota.

Localizador via Stálite (www.findmespot.com) preso na asa

Cirrus emcobrindo a rota e dificultando o vôo.

Viva o Dorflex! Foram 3 durante o vôo, além do Ornitargin (que caiu da asa quanto eu tomaria o terceiro)

A molecada sempre ajuda!

Erick e Cedrick Vils comemorando o novo recorde pessoal. 230Km de vôo.

Chegamos ontem a noite em Patu, Rio Grande do Norte.

Acordamos as 6h da manha de hoje e percebemos que o dia nao estava classico e parecia um dia ruim.

Muito azul, pouquissimas nuvens, mas mesmo assim optamos por fazer uma correria e ir pra rampa.

Paramos na loja da TIM (a melhor por estas bandas...), compramos chip as 7:20h e subimos pra rampa. As 8h ja tinham parapentes boiando sobre a rampa, mas poucos metros sobre a rampa.

O objetivo era decolar 8:30h, mas atrasou tudo por causa dos preparativos pro voo de distancia. Dorflex e Ornitargin com durex no speedbar, localizador via satelite (Spot http://www.findmespot.com/) preso na barra lateral, comidas no casulo, 2 radios, 3L de agua, carboidratos etc.

Só conseguimos decolar 10:40h e o ventao matinal ja havia diminuído, deixando ate a decolagem complicada por falta de vento.

Colocamos no GPS a proa 270° (do leste pro oeste) apontando para Campo Maior.

O dia realmente estava de normal pra fraco.

Azulado varios momentos, vento leste entre 18 e 40Km/h, teto maximo de 2.600m (de tarde) e termicas medias de 2 a 3m/s, com algumas lisas de 6m/s.

Apos passarmos no traves de Quixada (CE), pelo Sul, um cirrus sombreava e tivemos que fugir um pouco da rota e buraco azul novamente.

Apos 5h de voo pousamos no Km 230 ao sul de Mombaca (CE).

Cedrick poderia ter continuado mais um pouco, mas preferiu pousar para facilitar o resgate.

Em menos de 40min o Didi (piloto de atibaia que esta fazendo nosso resgate) chegou com o carro do lado.

Estamos na estrada agora indo pra Ico (CE) onde dormiremos e amanha seguiremos pra Tacima na Paraiba para voarmos sexta-feira bem cedinho com o Dudu (MT) e o Julio Krebs (RS).

Tracklog voo Erick

Tracklog voo Cedrick

Agradecimentos especiais ao Nader Couri e Mathias Fulda por emprestarem o Spot via satelite.

Em tempo: nosso maior voo passa a ser este de hoje, pois ano passado fomos "obrigados" a pousar no Goal de Ipu CE, apos 206Km.

146 Kg de equipamentos no aviao

Viemos do Rio pra Fortaleza de aviao da Gol e as asas e muitos equipamentos vieram conosco.

Colocamos as asas no breakdown (reduz um pouco o comprimento da asa pra caber no porao do aviao).

A Gol cobrou valor fixo de R$100 por asa.

No dia seguinte fomos pra uma sombra na praia de Fortaleza e montamos as asas com um belo visual e agua gelada.

De la, seguimos pra Patu RN com o carro alugado lotado com 146Kg de equipamentos.

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Ja estamos em Fortaleza

Chegamos agora em Fortaleza, Ceara.

Asas e casulos perfeitos e espantando todos no aeroporto (trambolhos totalizando 146Kg de equipamentos).


Amanha pegamos aqui no aeroporto o Didi de Atibaia SP (amigo e piloto de voo duplo) que fara nosso resgate.

Amanha mesmo seguiremos de carro para Patu no Rio Grande do Norte.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Acompanhe via Satélite nossa posicao durante o voo

O pequeno aparelho que é capaz de se comunicar com o satélite e transmitir a posição do piloto em vôo


A partir do dia 5/nov/2008 tentaremos os épicos vôos de longa distância no Sertão Nordestino, onde o principal ponto de partida será a rampa de Patu, no Rio Grande do Norte. O rumo será sempre pra oeste, pois os ventos alíseos da região sempre sopram da costa nordestina para a Amazônia.

Tela de acompanhamento pela Internet (vide links abaixo)


Os amigos Nader Couri e Mathias Fulda nos emprestaram este rastreador via Satélite que envia a latitude e longitude (coordenada GPS) de onde o piloto está, via satélite p/ um site na Internet, sem depender de cobertura de celular. Também consegue enviar para o carro de resgate via SMS ou e-mail.

Para nos monitorar pela Internet, use os links abaixo:


O e-mail chega desta forma para a lista de pessoas que posso configurar para receber os alertas



O custo parece ser bastante accessível e estamos pensando em comprar um destes posteriormente.

Mais detalhes em www.findmespot.com

sábado, 1 de novembro de 2008

Em busca do recorde!

Patu - RN

Na manhã deste dia 30/out, partiram de Porto Alegre rumo ao nordeste, André Wolf e Júlio Krebs, com o objetivo da quebra do recorde de distância de voo em asa delta. Segundo André, a data escolhida é em função de acharem o mês de novembro o melhor em relação à condição climática. A expedição, não é nenhuma competição, é só a tentativa de recorde. Não têm data certa para começar nem terminar.

André Wolf comenta sobre a expedição:
"Desde o ano passado quando bati o recorde brasileiro e que também é o sul-americano com 452 km, fiquei com uma vontade enorme de investir mais no nordeste. De lá para cá foi um ano inteiro de pesquisas para decidir qual seria o melhor local de decolagem. Inclusive eu e o Júlio estivemos em Pernambuco no mês passado para essa busca.
A conclusão que chegamos é de que o melhor lugar para iniciar o vôo seria no Rio Grande do Norte, mais precisamente na região de Currais Novos que é a uns 100 km mais à leste de Patu.
Esse local nos daria uns 730 km de distância até o Maranhão, que é onde acaba o sertão e começa uma região de mata, com pouquíssimas opções de pouso e com a condição de vôo diferente. Teremos, portanto, uma longa distância dentro do sertão, onde temos as condições ideais para recorde.
Partindo disso, iremos eu, Júlio, Erick Vils e Cedrick Vils do Rio, Dudu do Mato Grosso mais Ferro, Indiana e Ronaldão de São Paulo. Se as condições estiverem muito boas, até o Nenê falou que vai."


Nós embarcamos nesta segunda, dia 3/nov/08.

Eu e Cedrick embarcaremos nesta segunda-feira 3/nov de noite com tudo embalado no avião que pousará em Fortaleza, Ceará. O Didi (piloto de duplo de Atibaia, SP) chegará dia 4 vindo de SP e se unirá à equipe para ser nosso resgate profissional. De Fortaleza, dirigiremos até Patú (RN) onde pretendemos montar acampamento base na modalidade "dia sim, dia não", ou seja, tentar um vôo longo de Patu ou Lagoa Nova RN e se conseguirmos voar longe, dormiremos na cidade mais próxima do local de pouso e no dia seguinte descansaremos e digiriremos de volta para Patu. Ficaremos 13 dias por lá, tentando de 5 a 7 vôos longos.

Dia 5/nov será nossa primeira tentativa de vôo, pois dia 4 será todo de translado e preparação do equipamento. Dia 5 às 5h da manhã estaremos de pé para nos dirigirmos pra rampa!

O André Wolf quer e está muito bem preparado para estabelecer o novo recorde brasileiro de distância (que já é dele) e nós iremos com o objetivo de romper a barreira dos 400Km de vôo.


Obrigado a todos os que nos ajudaram de alguma forma.


Mais uma forma de aumentar autonomia do GPS

Dica do Marcelo Ferro (piloto de asa de SP e fera no esporte) para quem não possui um Brauniger Compeo e voa com uma GPS 76S de baixa autonomia:







Fala Erick,
Encontrei uma solução simples para aqueles que querem aumentar a autonomia do 76s sem ter que trocar as pilhas em vôo. Fiz isto pensando nos longos vôos do nordeste. Testei e aprovei.
Uma simples bateria de 9v ligada ao cabo de transmissão de dado/energia externa do gps.
A bateria 9v durou mais de 8 horas. Quando ela acaba o gps mostra a informação para você apertar qualquer tecla para que ele acione as pilhas padrão do aparelho ( duas 1,5 v ), que duram umas 5, 6 horas. Ou seja: 8 + 6 = 14 horas de autonomia do gps sem perder o track !
Se você quiser, coloca no seu blog como dicas. Seguem as fotos.
Boa sorte no nordeste. Estou torcendo muito para que vcs quebrem o recorde dos pano de chão.
Estou embarcando dia 21 para o XCeará.
abs,
Marcelo Ferro

domingo, 19 de outubro de 2008

Carmo do Rio Claro foi classico!

Toda equipe reunida no dia que não deu prova
 
A última etapa do campeonato brasileiro que ocorreu em Carmo do Rio Claro (MG) foi espetacular.
 
Nós já conhecíamos o local quando fomos em 1999 em um campeonato de parapente aberto ao vôo de asa, porém ainda não sabíamos voar direito, pois tínhamos apenas 6 meses de formados!
 
 
9 anos depois, conhecemos o que o local tem de potencial e beleza.
 
Vários dias com teto de 3.000m sobre o nível do mar (2.200, sobre o chão), lagos lindíssimos e infinidade de pousos.
 
Agradecimentos à cidade, aos organizadores e à natureza.
 
Ano que vem estaremos lá, com certeza!

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Carmo do Rio Claro, prova 3

Mais um dia espetacular e bem técnico.

A prova de hoje passava vários momentos por cima da represa de Furnas e se bobeasse teria que voltar para Carmo do Rio Claro de balsa.

O vôo foi lindo com 82 Km de prova.

Base das núvens a mais de 2.800m (ASL) o que equivale a pouco mais de 2.000m sobre o chão.
 

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Carmo do Rio Claro (segunda-feira sem lei)

Tudo formado e prova escolhida de 133Km.


Será um "Race to the Goal" com objetivo de chegar no aeroporto de Casa Branca (SP) perto de Andradas e Aguaí.

sábado, 11 de outubro de 2008

Carmo do Rio Claro (fim de tarde)

O teto estava baixo, mas o voo estava bom.

Nao sei ainda quantos no goal, pois entraram uns cirrus que enfraqueceram o voo.

Dia lindo em Carmo do Rio Claro MG

A prova escolhida para hoje foi decolagem de Carmo na serra da Tormenta, pilao em Areado e goal em Alfenas, totalizando 70,9km de prova.

A janela abrira 12:30h e 13:15h eh o starting gate.

O dia esta lindo e varios pilotos ja estao aqui para esta prova do campeonato carioca e paulista.

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Vils Brothers no Sertao novamente (2008)


Amigos, tudo confirmadíssimo.

Passagens compradas, asas reguladas, radios, antenas, celulares, baterias externas, resgate, academia todos os dias etc.

Estaremos de 4 a 15 nov no Rio Grande do Norte (Cidade de Patu ou provável rampa perto de Currais Novos) tentando os voos de mais e 400km com decolagens às 8h da manhã e pouso previsto para 17:59h.

Afiaremos o braço em Carmo do Rio Claro (MG) semana de 11 a 18/outubro durante o campeonato brasileiro e depois é só entrar no vôo da Gol pra Natal RN.

Que a experiencia dos Dinos e o espírito Danoninho estejam conosco.

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Conseguimos nossa primeira transmissão ao Vivo do vôo pela Internet


Hoje conseguimos fazer nossa primeira transmissão ao vivo durante o vôo de asa em Petrópolis.

Alguns pilotos conseguiram acompanhar pela Internet o trajeto e a localização da minha asa pelo mapa com atualizações a cada 2 minutos feitas pelo celular com GPS que me acompanhava no vôo.

No que consiste:

Há alguns meses estou voando com um celular que possui GPS integrado (Fabricante HTC modelo Tytn II, mas vários outros fazem isso). 

Tenho contratado o serviço de acesso à Internet da Claro (mensalidade de R$59). 

Este celular possui Windows Mobile 6.1 e encontrei um site na Internet que é gratuito e você pode instalar um aplicativo no celular que fica enviando pela conexão de Internet do celular a sua localização GPS e velocidade para a central. 

Os visitantes podem acompanhar o vôo por um endereço específico (no meu caso era: http://www.trackr.eu/user/erick.vils/live)

E não pára por aí:
O software que você instala no celular é capaz de mostrar na telinha outros pilotos que são amigos e as respectivas localizações online. Assim, o resgate pode ficar com um destes celulares e ficar sabendo exatamente onde estão todos os pilotos, e se ainda estão voando, pois ele mostra a velocidade.

Problemas e próximos passos:
Estes celulares com GPS integrado consomem muito rápido a bateria quando estão com o GPS ligado. O meu dura apenas 3h com o GPS ligado.

A solução agora é a instalação de uma bateria adicional no celular (ou externa via USB colocando-a dentro do casulo) para que os vôos longos (5h ou mais) possam ser monitorados.
 

PS: Agradecimentos ao André Nardelli de Brasília (piloto de asa e planador) pelas dicas.
PS2: Existe outro site que faz algo similar e chama-se www.mapmytracks.com

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Acompanhe o voo ao vivo!

O André Nardelli de Brasília está testando este site que recebe seu tracklog enviado durante o voo por seu celular com GPS integrado e mostra aos seus amigos e resgates por onde você está e o caminho que está fazendo.

http://www.mapmytracks.com


Em breve faremos testes também e divulgaremos os resultados.

Como funciona:

  • Voe com um Celular que possua plano de dados (acesso Internet) e que tenha GPS integrado (ou consiga via Bluetooth falar com um GPS bluetooth externo).
  • Instale no celular um aplicativo que está disponível para download no site deles (http://www.mapmytracks.com/install)
  • Faça um plano gratuito ou o ilimitado no site deles (aproximadamente R$19,00/mês) e divulgue para seus amigos o endereço do site no qual podem acompanhar seu vôo online.


segunda-feira, 8 de setembro de 2008

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Sobre regulagens de asas (e casulos)!


Este assunto raramente alguém gosta de escrever, pois sabe dos riscos decorrentes de uma regulagem mal feita. Mas prefiro escrever o conceito básico no intuito de evitar que a falta de conhecimento possa resultar em regulagens mal feitas.


Como deixar a asa mais macia e "redonda" nas térmicas?

Objetivo: Fazer com que a asa "encaixe" facilmente na térmica e não fique caindo em faca para dentro das termais, reduzindo os movimentos de correção que o piloto precisa fazer (high siding).

Asas de ponta redonda (Ex.: Wills Wing e Moyes) possuem regulagem do copinho na ponta do Leading-Edge. Estes copinhos são responsáveis por deixar a tala flexível de fibra com a ponta mais pro alto ou mais pra baixo. Se a ponta estiver mais alta (como as pontas de asa de urubus) a asa ficará mais encaixada nas termais e mais macia, porém perderá um pouco de performance em alta velocidade. Se a ponta estiver mais baixa, a asa ficará caindo em faca nas térmicas. Uma ponta muito alta pode fazer com que a asa fique querendo sair das térmicas (cuspida da térmica) e fique até difícil de entrar na térmica lateralmente.

Deixar as talas que estão mais próximas da quilha (as 4 ou 5 maiores talas da asa) com pouca tensão deixará o comando da asa mais fácil e leve. O recomendado é que ao encaixar e tensioná-la, a pressão seja capaz de provocar um levantamento na curvatura da tala no bordo de ataque de uns 5 milímetros.

Outra coisa que influencia muito no comando da asa é a altura do casulo em relação à asa. Se você colocar seu casulo muito alto, o centro de gravidade ficará muito próximo da asa e você terá que fazer muita força pra comandar a asa. O ideal é tentar o mais baixo possível sem que comprometa seu movimento de comando. Isso influencia tanto que 2 cm mais baixo você achará que está voando outra asa (mais macia, claro). Tente regular para que na picada seu peito/barriga praticamente fique raspando no speedbar.


Como melhorar a performance nas tiradas (em alta velocidade)?

Objetivo: Fazer com que a asa tenha uma razão de planeio (L/D) melhor em alta velocidade e que consiga penetrar bem em situações de vento contra.

Na maioria das asas modernas, quando a marcha da asa é cassada, os recuperadores maiores (próximos da quilha) automaticamente são rebaixados e os (menores) são os que passam a atuar em alta velocidade. Quanto mais baixos os recuperadores de ponta, mais insegura e perigosa a asa ficará, sujeita a uma capotagem. Se a 70 Km/h sua asa possui muita pressão de barra, você pode experimentar retirar 1 volta do seu recuperador de mergulho de ponta e fazer um vôo de teste. Nunca reduza mais de uma volta entre um vôo e outro. Tente deixar sua asa regulada de forma que entre 70 e 75km/h (de marcha cassada) ela tenha um pouco de pressão de barra. Nunca deixe pressão de barra negativa!

O peso do piloto também influencia na performance e L/D da asa. Leia a especificação de peso que o fabricante informa para sua asa. Geralmente eles colocam a faixa (peso mínimo hook-in e máximo). Se deseja mais performance, divida a faixa de peso que o fabricante recomenda em 3 blocos e faça com que "seu peso+casulo+lastro" fique no terceiro bloco, mais próximo do limite máximo de peso aceito para a asa. Quanto mais pesado (sem exceder o limite máximo), mais a asa renderá nas tiradas (Alan, não esquecerei da covardia de Brasilia 2008 jamais)!

Sua posição em vôo e regulagem do casulo podem influenciar. Nas tiradas, tente manter o casulo alinhado com o horizonte ou um pouquinho com a cabeça pra baixo. Braços juntos ao corpo e poucos movimentos de correção, exceto os de velocidade p/ tentar voar na velocidade desejada em relação à massa de ar que está passando (acelerar nas descententes e reduzir velocidade nas ascendentes).



Em alta velocidade minha vela fica fazendo barulho e panejando nas pontas. Como tirar isso?

Objetivo: Elimitar os panejamentos que ocorrem de um os ambos os lados, pricipalmente nos 2 últimos gomos da ponta da asa.

Asas de ponta redonda (Ex.: Wills Wing e Moyes) possuem uma regulagem na alavanca que tensiona a tala flexível de fibra e também uma regulagem de tensão do bordo (esticador da vela que a prende no leading-edge).

Tensionar um pouco a vela pode reduzir este efeito. Se for mexer, solte o pino que trava a vela no leading-edge e marque com uma caneta a posição atual. Mexa de forma a tensionar apenas 3 milímetros e faça um test-fly. Faça sempre igual dos 2 lados.

Quanto à regulagem que existe no copinho de alumínio que existe no final da alavanca que tensiona a tala de fibra, não é muito intuitivo encontrar esta regulagem. Existe um parafuso que prende esta alavanca na vela. Solte o parafuso e remova a alavanca de dentro da vela com cuidado, pois existe uma pecinha concêntrica e arruelas que podem cair no chão. Você perceberá que esta pecinha não é simétrica e pode ser encaixada de 2 formas. Na Wills Wing, o que existe na verdade são 3 furos e você pode escolher qual dos furos será usado. Cada um deles dará mais ou menos tensão na tala de fibra. Isto evita que você precise serrar a tala de fibra (ou colocar uma maior) como era feito antigamente. Faça testes (sempre fazendo igual dos 2 lados) e veja qual posição reduziu mais o panejamento da vela em alta velocidade.


Como faço para minha asa ser macia nas térmicas, ter performance e ser segura?

Lamento informar, mas quase todas as regulagens possuem correlação entre si.
Mais performance => menos segurança
Mais macia => pior rendimento

Defina seu estilo de vôo e regule a asa de forma que te atenda da melhor forma, ou regule a asa conforme seu objetivo no vôo. Em vôos de distância e de longa duração, a maioria dos pilotos preferem asa macia do que performance. Em competições e voando na bombação, aceita-se uma asa mais dura, mas andando bem em alta velocidade.

Fica aqui a dica de como nossas Wills Wing T2 estão reguladas:

Copinho da tala de fibra: 1 ponto a mais na regulagem, colocando a ponta mais alta, ou seja, mais macia do que a regulgem de fábrica que geralmente vem no zero. Priorizamos o vôo de XC.

Recuperadores de alta velocidade (menores): relativamente baixos, ao ponto de manter pressão de barra a 75 km/h.

Recuperadores de baixa velocidade (maiores): acompanhando a relação existente entre os recuperadores de alta velocidade, conforme o que o manual informa. Medir também com a marcha toda cassada (vide dica abaixo sobre o manual da T2).

Furo do CG na quilha que o hang-loop prende: isso é muito pessoal e varia um pouco de ano e modelo. Mais pra frente a asa fica mais fácil de comandar na térmica.

Peso do piloto: no "2/3" da faixa de peso recomendada pelo fabricante e usando lastro natural (cerveja, claro!)

Dica para regulagem da Wills Wing T2:


No manual da T2 (página 44) existe o padrão de fábrica para os recuperadores de dentro e os de fora. Você pode medir com uma cordinha entre as talas de cada lado e ver onde esta linha passa na quilha. Colocar um cavalete de cada lado da asa, levantando-a apenas pelo leading-edge (nas pontas, enconstando apenas no leading-edge) e com a asa toda cassada. A quilha deve sair do chão sozinha.

No manual, a medida padrão dos recuperadores de fora a linha deve passar 2 cm (na T2-144) ou 1 cm (na T2 154) abaixo do topo do tubo da quilha e usando a tala #3 (a tala de fibra é a #1) como referência pra cordinha.

Se rebaixar um pouco os recuperadores de ponta, tente acompanhar a relação dos recuperadores de dentro (de marcha cassada).




Bons vôos e fiquem a vontade para comentar, complementar e corrigir qualquer informação citada.

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Planador e parapente em voo (na Argentina)

Dia lindo, limpo e relativamente quente hoje aqui em Bariloche.

Um moto-planador e um parapente ficaram sobrevoando a pista de Ski.

As maquinas voadoras me perseguem...

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Da secura de Brasilia direto para o gelo de Bariloche

Depois de 8 dias de vôo em Brasília DF, estou "pagando os pecados" aqui na Argentina. O Cedrick ficou "segurando as pontas" enquanto curto esta vida ruim.


Menos neve que o ano passado, mas os picos estão um show!



Vôos-duplos de parapente decolam também nesta época com os turistas.

Os maus hábitos não mudam...



No primeiro dia, 7 horas de Snowboard direto e os músculos continuam reclamando. Por que será?